O número de trabalhadores desempregados no Paraná teve queda de 13,6% no segundo trimestre de 2017. Passou de 617 mil para 533 mil pessoas. Foi a maior queda entre os Estados do Sul e do Sudeste e a terceira maior do País. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, divulgada pelo IBGE, na última quinta-feira (17).

A queda no número de trabalhadores desocupados ajudou na redução da taxa de desemprego no segundo trimestre. O percentual de desocupados sobre a população economicamente ativa caiu de 10,3% para 8,9% entre o primeiro e o segundo trimestre do ano. Além da queda no número de desocupados, a população ocupada também cresceu no período no Paraná. A taxa de desemprego é calculada com base no número da população economicamente ativa e nos índices de ocupação e desocupação.

Em todo o Brasil, o número de desempregados caiu menos – 4,9%, de 14,136 milhões para 13,486 milhões.

Do Sudeste e do Sul, o Paraná ficou à frente, por exemplo, de Minas Gerais, com queda de 10,2% no número de desocupados (1,506 milhão para 1,353 milhão) e do Rio Grande do Sul, com diminuição de 8,6% (560 mil para 512 mil). No País, a queda do só não foi maior do que a do Mato Grosso (17,4%) e Pará (16,4%).

A população masculina desocupada teve queda de 15,9% de 302 mil para 254 mil. Já a parcela de mulheres desempregadas no segundo trimestre era de 279 mil – 11,4% menos do que no primeiro trimestre.

A maior queda no número de desempregados se deu na faixa etária de 14 a 17 anos, com redução de 19,8% na comparação entre os dois trimestres – de 81 mil para 65 mil. O volume de desempregados entre 25 e 39 anos caiu 15,1%, de 186 mil para 158 mil.

Já o número de pessoas sem trabalho entre 18 e 24 anos teve redução de 10,3% de 195 mil para 175 mil. Entre 40 e 59 anos, a população desocupada diminuiu 13%, passando de 138 mil para 120 mil. Entre os trabalhadores com 60 anos ou mais, a população desocupada passou de 17 mil para 15 mil, retração de 11,8%.

As maiores quedas na desocupação se deram entre os trabalhadores sem ou com menos de um ano de instrução, com queda de 48,5% – de 33 mil para 17 mil. Em segundo lugar ficou a população com ensino médio completo ou equivalente, que passou de 197 mil para 153 mil, redução de 22,3%.

O número de desempregados com ensino fundamental completo ou equivalente teve a terceira maior queda – 15,9%, de 82 mil para 69 mil pessoas.

Com informações da AEN.